Arroz de couve-flor

Imagem inline 2
Imagem inline 3

A pessoa aqui está de atestado e de molho em casa, e vê na TV a Ana Maria Braga dando uma ideia super legal (que muita gente já deve ter visto por aí): o arroz de couve-flor. Mas como tava bom demais pra ser verdade, ela acabou dando junto uma opinião baseada em achismo ou uma meia informação que ela viu por aí: “carboidrato e proteína é uma bomba calórica, não é bom”.

Miga, DEPENDE.

Primeiramente, a vida não é feita de calorias. Esquece um pouco disso, por favor? E segundo, depende do carboidrato, depende da proteína, depende da combinação, depende da pessoa, depende do horário, …

Uma fruta é rica em carboidrato; adicionar uma fonte de proteína pode ser uma estratégia interessante para reduzir a absorção do açúcar da fruta – geralmente se usa fibras, gorduras boas ou proteínas pra esse intuito. Então uma panqueca de banana + ovo + aveia pode ser uma opção saudável de lanche e não uma opção calórica.

Arroz e feijão são alimentos típicos brasileiros e são uma mistura excelente de aminoácidos essenciais, que se complementam para fornecer a nossa necessidade diária “proteica”.

Um pouco de arroz integral, feijão, salada e frango à noite pode ser uma ótima opção de jantar.

Cada um tem o direito de dar sua opinião. Mas a partir do momento que a pessoa é uma figura pública, que contribui para difundir informações, e faz um comentário baseado no achismo, aí não. Menas.

Mas vamos voltar à parte boa, o tal arroz de couve-flor.

A couve-flor é rica em vitaminas do complexo B, vitamina C e E, potássio, cálcio e magnésico; ajuda a diminuir o colesterol; é rica em fibras e em carboidratos de absorção mais lenta, sendo boa para diabetes e emagrecimento; rica em antioxidantes, ajudando a fortalecer o sistema imunológico; ajuda a manter dentes e ossos fortes, entre uma diversidade de benefícios.

E a receita que ela deu no programa é bem bacana. Parabéns por essa parte! Deem uma olhadinha lá no site dela, se quiserem ver detalhes, mas basicamente pra fazer você precisa:

  • Ralar ou triturar a couve-flor no processador
  • Em uma panela, refogar alho e cebola em um pouquinho de azeite
  • Adicionar a couve-flor triturada, refogar um pouquinho, adicionar sal e colocar um pouquinho de água para cozinhar. É BEM menos água do que você colocaria pra cozinhar um arroz de verdade, ok? Na receita da Námaria, ela colocou 7 xícaras de couve flor e 3/4 xícara de água – uma boa é ir adicionando a água aos pouquinhos pra não errar.

Essa é uma ótima opção pra um jantar mais leve e uma ótima alternativa pra enganar aquela vontade de quem AMA arroz e não vive sem.

Anúncios