Matéria do Fantástico mostra Whey Protein Adulterado!

Quem assistiu o Fantástico ontem à noite, viu o tanto de suplementos a base de Whey Protein que estava em desconformidade com o que alegava no rótulo. A análise foi realizada em amostras de Whey Concentrado, o mais passível de adulteração na minha opinião, já que não deve conter apenas proteínas do soro do leite (ao contrário dos Wheys isolados ou o hidrolisados, com boas concentrações da proteína). Confira a reportagem no link

Só queria deixar claro por aqui, que é possível uma alimentação sem Whey ou outros suplementos esportivos para atingir resultados e objetivos!

whey

O meu pré-treino e pós-treino de hoje foram com #comidadeverdade

  • No pré: crepioca de cacau + pêra assada no óleo de coco com canela + mel
  • No pós: minha janta linda e maravilhosa, cheia de vitaminas, minerais e antioxidantes ♡

E quem disse que é preciso Whey pra conseguir alimentação balanceada – seja em proteína ou qualquer outra coisa? Tudo DEPENDE! Por isso é importante o uso desses suplementos sob orientação. E não da forma indiscriminada que vem acontecendo.

Ah, e pra quem achou o pedaço de frango pequeno, teve mais um de igual tamanho! 🙂

 

Saiu na mídia!

Saiu uma participação e uma receitinha minha na Revista do Correio de ontem (17/08)! A matéria é sobre sucos detox e está bem bacana! Gostaria de fazer apenas uma pequena correção: quem tem hipotireoidismo é bom evitar o consumo do suco verde, porque os vegetais verde escuros (como a couve, muito utilizada nesses sucos), contêm glicosinolatos, os quais interferem no metabolismo da tireóide.

10348197_687831361296664_4324950522102759553_n

A matéria completa está no link da Clínica Médica Saúde e Bem Estar: http://www.clinicasaudebemestar.com.br/news.php

Uma Copa do Mundo mais Saudável

seleção-futebol-copa-confederações

A Copa do Mundo já começou e ainda tem muitos jogos do Brasil pela frente!

Mas para não sair da dieta (pelo menos, não muito), seguem algumas dicas para curtir os jogos de forma mais saudável e sem exageros:

  • Esqueça seus problemas, torça bastante e viva o momento. Comemore os gols, abrace seus amigos e sua família. Deixe o estresse de lado e curta esses momentos de alegria.
  • Evite os “exageros alcoólicos”. Se tomar sua cervejinha não esqueça de se hidratar com água e/ou sucos naturais.
  • Coma mais comida de verdade. Não precisa passar vontade nesses momentos. Coma sua “besterinha”, sempre com moderação, para satisfazer (e não empanturrar) a vontade. Mas não se esqueça de comer comida de verdade ao longo do dia, inclusive durante o jogo.

Alguns petisquinhos saudáveis

□ Pipoca de panela ou pipoca de microondas caseira

size_590_pipoca

Para fazer a pipoca de panela, uma alternativa interessante é substituir o óleo ou a manteiga por azeite ou óleo de coco. Além disso, adicione óleo apenas para o milho de pipoca ficar brilhante e não “nadando” em óleo.

Já para a pipoca de microondas, vale uma consideração sobre as  versões vendidas nos supermercados: elas são muito ricas em sódio e em gordura, principalmente a gordura trans, que faz bastante mal à saúde; além disso, são bem mais caras que um saquinho de milho para pipoca Mas para não perder essa praticidade do microondas, faça a pipoca de microondas caseira, com o próprio milho para pipoca. Você vai precisar de:

  • 5 colheres (sopa) de milho para pipoca
  • 5 colheres (sopa) de água
  • sal (uma pitadinha)

Em um recipiente alto de vidro, coloque os ingredientes e misture bem. Tampe o recipiente com papel filme e faça 4 furinhos para sair o vapor (use a pontinha de uma faca para isso). Leve ao microondas em potência máxima por 3 a 6 minutos (o tempo varia conforme o seu microondas, mas quando o intervalo entre os estouros ficar mais longo, desligue o micro). Aprendi essa receita aqui. Mas também tem como fazer sem nada! Só com o milho mesmo. Deem uma olhadinha nesse vídeo.

Se você é fã de pipoca com manteiga (aquelas de cinema, que deixam a mão toda melecada), uma opção para substituir é colocar um fio de azeite em cima da pipoca e ainda salpicar com um pouquinho de ervas secas, como orégano, chimichurry, açafrão… Fica delicioso! Mas cuidado para não colocar azeite demais, sem exageros, hein?!

□ Frutas picadas / espetinho de frutas

São boas opções para não esquecer de comer a fruta no lanche, que em geral, é a hora do jogo!

– Banana + morango + kiwi

– Uva + manga + mamão

1

□ Castanhas

Nuts-capa-cópia

As castanhas são ótimas opções para petisco, ricas em gorduras do bem e em vários nutrientes, como magnésio e selênio. Mas cuidado com o amendoim japonês! Alguns deles podem ter uma capinha de gordura hidrogenada (trans) e glutamato monossódico. Prefira as versões mais básicas. E se quiser, junte um pouquinho de frutas secas, como uva passa, damasco, ameixa. etc.

□ Bolos caseiros

– Bolo de cenoura,

Bolo de banana e aveia

– Bolo de chocolate com chuchu

– Bolo de agrião

bolo-de-banana-receita

□ Vegetais crus e torradas com molhos e patês caseiros

– Pão sírio torrado com patê de ricota temperada: corte o pão sírio em tiras ou triângulos, distribua em uma assadeira, regue com um pouco de azeite e leve para assar. Amasse a ricota e tempere com ervas e azeite.

– Palitos de cenoura e pepino com patê de frango

460722c372a62eb07e261fe30107ddaf85b27561

□ Espetinhos de vegetais (com ou sem carne)

Os vegetais podem ser cruas, cozidos e grelhados.

– Queijo + tomate cereja + manjericão

– Berinjela e abobrinha grelhadas

Vegetais e queijo

– Brócolis e cenoura cozidos

images

 

Algumas receitinhas bem legais vocês podem conferir no link: “6 aperitivos para não sair da dieta durante a Copa do Mundo“.

Essas são apenas algumas sugestões. Inspire-se nas imagens e use a criatividade!

Boa torcida! Vai Brasil!

Você sabia? – Colesterol e Carboidratos

Você sabia que o colesterol alto pode estar relacionado com o consumo excessivo de carboidratos – principalmente os refinados, como arroz branco, pão francês ou macarrão?

Isso, porque esses alimentos geram um aumento muito grande da glicose sanguínea e, consequentemente, da insulina, o hormônio responsável pela captação de glicose no organismo. Se essa situação continuar acontecendo com frequência, pode ocorrer o desenvolvimento de um quadro chamado de resistência à insulina, que, entre outras implicações, estimula a produção de triglicerídeos e de colesterol e suas frações (VLDL/LDL/HDL).

Colesterol

Está com problemas para controlar o colesterol?
Agende sua consulta! Atendimentos:

– Asa Sul: (61) 3443-0237
– Guará: (61) 3026-2100
– Em domicílio (Personal Diet): (61) 8158-1767

Se preferir, entre em contato por e-mail: camilasba.araujo@gmail.com

Alimentação saudável começa na infância! Mas nunca é tarde para mudar antigos hábitos alimentares. #ficadica

Você sabia que estimular as crianças a se envolver no preparo dos alimentos pode ser uma medida efetiva para promover a alimentação saudável!?

Pois é isso que um estudo realizado recentemente no Canadá sugeriu.

comida_Herb_Swanson_Reuters_useA pesquisa foi realizada em 151 escolas de Alberta (Canadá) com 3398 crianças da 5ª série para verificar as experiências dos alunos com o preparo e a escolha dos alimentos.

Quase um terço deles disse ajudar os pais na cozinha ao menos uma vez ao dia. A mesma quantidade disse que os auxiliava de uma a três vezes por semana. Um quarto afirmou cozinhar somente uma vez por mês e 12,4% não tinham participação alguma no preparo da comida.

Em geral, as crianças disseram preferir frutas a vegetais, mas as crianças que disseram ajudar no preparo mostraram maior preferência por ambos os grupos alimentares – a preferência por vegetais, aliás, foi 10% superior entre os que cozinhavam. Essas mesmas crianças ainda se declararam conscientes sobre a importância de se manter uma alimentação saudável. Assim, os resultados sugerem que a melhor maneira de fazer as crianças consumirem mais alimentos considerados saudáveis é fazê-las cozinhar ou ao menos ajudar no preparo de alguns pratos! 

Leia a reportagem sobre o estudo aqui e confira o estudo na íntegra ali.

Uma informação como essa é muito interessante, tendo em visto os atuais índices de obesidade infantil e doenças crônicas nesse público (como pressão alta ou diabetes, por exemplo), que só tendem a aumentar mundialmente, se não forem realizadas mudanças na alimentação da população.

Por isso, a nutri que vos escreve lança essa novidade: o atendimento voltado para a nutrição infantil. Mas isso não quer dizer que os “grandinhos” estão de fora! Afinal, para a boa alimentação da criança, é importante a participação e empenho dos pais e responsáveis. Por isso a integração de toda a família é super importante para o sucesso na reeducação alimentar dos pequenos.

cartaz-facebook

Clique na imagem para ampliar.

Dentre as opções do serviço, estão:

  1. O atendimento nutricional individualizado, com orientações específicas para a criança e os pais sobre a alimentação, além do acompanhamento de peso, altura, e exames bioquímicos, conforme a necessidade. Essa etapa do serviço é importante para realizar o diagnóstico da situação alimentar da criança e traçar um plano de ação em busca da reeducação alimentar. Os atendimentos podem ocorrer na Asa Sul (Clínica Bonum Vitae), Guará (Clínica Médica Saúde e Bem Estar) ou na própria casa do cliente. Consulte os contatos de cada um aqui.
  2. A realização de oficinas culinárias na casa do cliente, com a participação da criança e/ou dos pais, avós, secretárias do lar, e quem mais da família quiser participar. A ideia é ser um serviço bem individualizado, com a “cara” do cliente, e que atenda a sua necessidade. Para melhor planejamento dos temas, receitas e formatos das oficinas, esse serviço conta com a parceria de 3 nutricionistas (inclusive eu! 😀 ) e uma chef de cozinha (gastróloga). 

Sabe de alguém que está precisando de uma ajudinha? Então compartilhe a ideia!

E você, se interessou? Entre em contato:

Tel: (61) 8158-1767

E-mail: camilasba.araujo@gmail.com

😉

Excluir o leite da alimentação. É para todos?

leite

A maioria das pessoas não sabe o quanto é chato (e difícil, muitas vezes) receber um diagnóstico do tipo: “Você tem intolerância à lactose. Corte o leite da dieta ou coma e passe mal.” Como se fosse simples assim… Como se “comer e passar mal” não fizesse, de fato, mal algum. Mas faz, e muito! Nossa saúde intestinal, principalmente, e do organismo como um todo que o diga!

Nos primeiros meses em que descobri minha intolerância à lactose, confesso que não foi muito fácil: acostumada a comer queijo, chocolate quente, sobremesas com leite condensado, entre outras delícias, passei por muito tempo de sofrimento: seja de privação das delícias ou de comer e passar mal  – naquela fase de negação, sabe? “Não devo ter uma intolerância tão forte assim” Mas tinha…

Foi quando eu decidi dar um basta e procurar opções que me fizessem bem. E é por isso que as receitinhas que pintam por aqui não levam leite.

Então respondendo a pergunta do título – o leite deve ser evitado por todos? Não.

A não ser que você tenha alergia ao leite de vaca, intolerância à lactose ou algum sintoma que indique que você deve evitar o leite de vaca (e veja que evitar, em muitos casos, é diferente de excluir totalmente) – aí sim, excluir o leite da alimentação é necessário. Vale ressaltar que na intolerância muita gente ainda consegue consumir os derivados do leite. A tolerância à lactose é bem individual.

Mas se você não se encaixa em nenhuma das alternativas anteriores, pode consumir o leite de vez em quando, com moderação.

“Mas não dizem por aí que o leite é alergênico? Que é um alimento inflamatório?”

Vaca_ordenha_leite_gadoSim, principalmente se levarmos em conta o atual processo produtivo das vaquinhas, que são mantidas em confinamento, à base de antibióticos, cuja ordenha é feita com máquinas. Então se a vaquinha estiver com alguma inflamação na teta, a mastite, é possível que pus e/ou sangue vá para o leite que consumimos. Sem contar a grande ocorrência de fraudes para aumentar o volume e o lucro sobre os leites… Veja reportagem aqui.

208701_10151402256007839_232123770_n (1)

“Curiosidade” que não paramos para reparar: o ser humano é o único ser que continua a tomar leite mesmo após adulto e, ainda, um leite proveniente de outro animal… rs

“Mas então por que consumir?”

Na minha opinião, não vale a pena consumir leite só por causa do cálcio – principalmente se você não é fã dele. Existem tantas fontes de cálcio por aí – o gergelim, o brócolis e a sardinha são ótimos exemplos.

Se você gosta muito, consuma. Mas faça uma atividade física e tenha hábitos alimentares saudáveis para evitar as possíveis intercorrências do leite (aquele processo alérgico e inflamatório que estávamos falando, sabe?).

brigadeiro-nestleParticularmente, eu só consumo leite, ou melhor, os derivados em sobremesas. Quer coisa mais gostosa que brigadeiro de festa de criança? Huuuuum…!

Está na dúvida? Quer ou acha que deve evitar o leite? Converse com seu/sua nutricionista. Somente com acompanhamento individualizado é que você terá as suas dúvidas respondidas.

Aproveitando a deixa… A nutri aqui faz oficinas de culinária a domicílio. Então, se você se interessou e quer aprender lanchinhos saudáveis sem leite (ou sem glúten ou com leite e com glúten, depende da sua necessidade! rs) me coloco à disposição. 😉

Espero ter ajudado!

Beijos na nutri,

Camila.

Food Revolution Day

Você já ouviu falar no Food Revolution Day?

food-revolution-day-brasil

Bom, para quem não sabe, o Food Revolution Day é uma campanha inspirada pelo chef inglês Jamie Oliver, que tem o objetivo de promover ações ao redor do mundo para manter vivas as habilidades culinárias.

jamie-2

Jamie Oliver.

Trata-se de celebrar a importância de cozinhar boa comida a partir do zero e aumentar o conhecimento de como a alimentação tem impacto em nossa saúde e felicidade.

“Nós acreditamos que todo mundo deveria saber sobre os alimentos e isso começa a partir da infância, familiarizando as crianças com a comida, cozinhando de forma divertida e inspirando o amor ao alimento que irá se perpetuar ao longo da vida” – é o que informa o site oficial da campanha.

Assim, o Food Revolution Day é uma iniciativa voltada para todos – seja você uma escola, uma organização ou uma pessoa interessada em fazer a “revolução” com seus amigos e familiares.

Você talvez esteja pensando: “Mas é só isso? Cozinhar?”. Sim, é só isso. Pode parecer simples, mas o que menos se vê hoje em dia é gente cozinhando. Quantos de nós prepara alguma coisa na cozinha de nossa casa pelo menos umas 3 vezes na semana?

Na correria do dia a dia, muita gente tem recorrido aos fast foods e produtos industrializados, os quais têm contribuido para o desenvolvimento de diversas doenças crônicas. As pessoas não estão mais comendo comida de verdade. O que mais vemos por aí são “produtos alimentícios” disfarçados de alimentos – basta dar uma voltinha em apenas um corredor de supermercado, ou olhar os ingredientes de um biscoito recheado, uma lasanha congelada ou um iogurte, que você vai entender o que eu estou falando.

As pessoas perderam o hábito de cozinhar e conhecer os alimentos. Com isso, cada vez mais as pessoas estão “desaprendendo” a cozinhar e as habilidades culinárias não são mais passadas de geração em geração.

Então a ideia do Food Revolution é revolucionar o que conhecemos sobre a comida!

Vamos descobrir juntos os diferentes temperos, ingredientes, receitas e alimentos. Vamos descobrir o que é comida de verdade, preparada por nós mesmos!

Somente através da educação sobre a alimentação, de uma forma divertida e engajada, estaremos empoderando as crianças e as futuras gerações, com habilidades que elas irão precisar para ter um estilo de vida saudável.

Ao incentivar as crianças a aprender sobre a comida e se alimentar de forma saudável, muitas pesquisas mostram que:

  • Crianças que aprendem a cozinhar tem mais chance de fazerem escolhas mais saudáveis, terem uma dieta melhor e entenderem como a comida afeta seu organismo.
  • Crianças que comem refeições saudáveis têm um melhor desempenho escolar e apresentam menos chances de faltarem à escola.
  • Melhorar  a dieta e aumentar a prática de atividade física é mais eficiente do que tomar medicamento na redução do risco de desenvolvimento de diabetes tipo 2.
  • Refeições preparadas em casa não contêm aditivos desconhecidos e são ricos em nutrientes, além de possuírem menor teor de gordura trans, gordura saturada, sódio e calorias.

Não fique de fora dessa campanha e participe do Food Revolution 2014 #FRD2014, que ocorrerá em 16 de maio (nessa sexta-feira), incentivando crianças e adultos a prepararem seus alimentos e a consumirem comida de verdade. Através do melhor conhecimento sobre a comida, podemos ter um maior controle sobre nossa alimentação!

R-Hand-Col-Ad-Big-R2-2014

Com informações:

Food Revolution Day

PropagaNUT